domingo, 17 de junho de 2018

A DISCIPLINA NA CATEQUESE

PARÓQUIA SANTO ANTÔNIO: A DISCIPLINA NA CATEQUESE: A questão da disciplina é um desafio no mundo atual. Já se foi aquele tempo em que as crianças eram dóceis e obedientes, cheias de motiva...

segunda-feira, 14 de maio de 2018

sábado, 14 de abril de 2018

FAZENDO AVALIAÇÃO DOS ENCONTROS

FAZENDO AVALIAÇÃO DOS ENCONTROS :: PORTAL DA CATEQUESE


FAZENDO AVALIAÇÃO DOS ENCONTROS

As vinte perguntas a seguir o ajudarão a avaliar seus Encontros de Catequese:
1. O quanto motivei cada catequizando?
2. Tornei o assunto do encontro, pessoal e significativo?
3. Rezei? Esperei resultados na vida dos meus catequizandos?
4. Planejei todas as atividades que foram realizadas
5. Satisfiz as necessidades dos catequizandos – em cada área deste encontro?
6. Respondi a cada catequizando de maneira amável e acolhedora?
7. Preparei-me para o encontro de hoje? Como posso melhorar?
8. Equilibrei o amor incondicional com a disciplina?
9. Diversifiquei os métodos?
10. Planejei para as mudanças ao longo do encontro? Elas foram expressivas?
11. Fiz com que meus catequizandos participassem ativamente do encontro?
12. Pude conhecer melhor meus catequizandos hoje?
13. Usei o encontro para enfatizar o objetivo da Bíblia?
14. Usei música? Ensinei as letras com precisão?
15. Preparei-me para atividades extras?
16. Atingi os objetivos do encontro? Fui flexível?
17. Trabalhei nos assuntos iniciados no encontro passado? Fiz revisão?
18. Durante esta semana, aplicarei a verdade bíblica na minha vida?
19. Farei minhas orações todos os dias desta próxima semana?
20. Quando e como me prepararei para o encontro da semana que vem?
Ser Catequista pode ser desafiador, mas as recompensas chegam à medida que você observar as mudanças que vão acontecendo nos catequizandos, após cada encontro.

domingo, 25 de março de 2018

AS RELIGIÕES ATUAIS





 "...Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha Igreja, e as portas do Inferno nunca prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus e o que ligares na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus." (Mt 16, 18-19)

           Para começarmos a estudar nosso tema de hoje, leiamos primeiramente, esta publicação de Dom Eusébio Oscar Scheid

Religião e religiões
'Fizeste-nos para Ti e inquieto está o nosso coração enquanto não repousar em Ti', exclama Santo Agostinho nas primeiras linhas de suas “Confissões” (Conf. I,1). Esse coração inquieto, em sua insaciável busca de Deus, ofereceu ao mundo belas páginas de reconfortante espiritualidade. O Santo empenhou sua inteligência nesse esforço de conhecer a amar a Deus para compreender a verdadeira religião.
A humanidade sempre buscou um modo de se relacionar com Deus. Nem sempre de modo correto, é claro. Muitas vezes se desviou do caminho, criando dificuldades para tantos irmãos. Isto, porque se apoiou em princípios errados que, necessariamente, conduziam a resultados errados.
Diante dos desafios naturais da vida, o homem buscava soluções imediatistas que acabavam por se deter nas criaturas em vez de se apoiar no Criador. As mais antigas expressões culturais revelam essa disposição em divinizar a natureza e seus fenômenos, chegando, em grande maioria de civilizações antigas, a cultuar ídolos criados por mãos humanas. Faziam isso, para expressar sua necessidade de apoiar-se em algo que as transcendesse, embora ocorresse o inverso.
Como todo homem tem suas maneiras naturais de agir, de defender-se, de procurar um lugar ao sol, uns caracterizando-se pela bondade, outros pela compreensão; ou distinguindo-se pela atividade, pelo amor à arte ou à ciência; assim também as religiões, cada uma apresenta caminhos característicos, considerados por seus iniciadores como os melhores para alcançar a salvação e cultuar a Deus. Isso, porém não prova que elas sejam verdadeiras.
          É bom conhecermos um pouco desta busca de Deus presente nas muitas religiões que há no mundo. Cidadãos do mundo, que somos nós (você sabia que “católico” quer dizer “universal”?), vale a pena abrir-nos para este vasto mundo dos homens de Deus, então vejamos em linhas gerais as grandes religiões e as falsas doutrinas:

CRISTIANISMO: é professado por, mais ou menos, 1 bilhão e 500 milhões de pessoas: uns 30% da humanidade, espalhados pelo mundo todo. São os seguidores de Jesus Cristo. Seu Livro sagrado é a Bíblia. Acreditam que Jesus de Nazaré é o próprio Deus que se fez gente, para mostrar o que é mesmo ser gente, para reeducar o homem no caminho da fraternidade. Acreditam e provam que o “projeto de Jesus é o único que tem chance de libertar a humanidade da injustiça, da fome, do ódio, da violência”.
          Infelizmente, os cristãos dividiram a única Igreja que Jesus tinha funda­do, em muitas Igrejas: Igreja Católica (886 milhões), Igreja Ortodoxa (171,4 milhões), Igreja Anglicana e centenas de outras Igrejas (ou seitas) diferentes, chamadas Igrejas Protestantes (cerca de 450 milhões).

IGREJA CATÓLICA

Jesus a fundou, e nos salvando do pecado, subiu aos céus, mas mandou o Espírito Santo para que, nos transformando em templos deste mesmo espírito, e entregando toda a autoridade de ligar e desligar aos Apóstolos, pudéssemos pregar a Boa Nova. (cf. Mt 16,19). ICOR 12,12-27 — Somos parte do Corpo cuja cabeça é Cristo, a Igreja, portanto, não é apenas uma assembleia de pessoas que procuram viver bem, ela é o Cristo atuante em nós pelo Espírito Santo e pela Eucaristia — Não se pode recomeçar a Igreja, pois quem recomeçasse faria obra humana, separada de sua cabeça Cristo, ficando, portanto, frágeis a ação e interesses de homens. A Igreja com o Espírito Santo sempre agindo nela através da sucessão apostólica mudou em muita coisa, não precisando fundar várias outras Igrejas.
Mas como várias outras igrejas existem, é bom que conhecemos um pouco de suas bases:
ISLAMISMO: é professado por 837 milhões de pessoas: na África do Norte e nos países árabes - Turquia, Irá, Iraque etc. Os seguidores do Islamismo são chamados muçulmanos. Fundador: Maomé (570 d.C.). Livro sagrado: o Alcorão de Maomé. Professam a fé num único Deus: Alá.

HINDUÍSMO: é professado por 661 milhões de pessoas, sobretudo na Índia e Paquistão. É uma religião antiguíssima, desde muitos séculos antes de Cristo. Livros sagrados: os Veda. Adoram um único Deus: Brahma. O núcleo essencial do Hinduísmo é um relacionamento amoroso do homem crente com seu Deus.

BUDISMO: é professado por 300 milhões de pessoas, sobretudo no Nepal, Tibet, Índia, Tailândia, Japão. Foi fundado por Buda (550 a.C.). É, sobretudo, uma filosofia de vida, que leva à contemplação de um caminho purificador (muito sério!), em vista da felicidade definitiva: o Nirvana. O Budismo é, sobretudo, uma religião de monges e monjas, chamados “bonzos”.

CONFUCIONISMO: é professado por 310 milhões de pessoas, sobretudo, na China e Indochina. Foi fundado por Confúcio, no ano 551 a.C.  O Confucionismo não fala diretamente de Deus: é um conjunto de doutrinas religiosas, sociais e morais.

XINTOÍSMO: é a religião oficial do Japão, professado por 85 milhões de pessoas. E antiguíssima. Não há culto ao deus supremo, mas a muitos seres divinos, benéficos ou malignos, espalhados por toda à parte. Uma divindade, superior a todas, é Amaterasú, a deusa do sol.

JUDAÍSMO: é professado pelo povo hebreu (18 milhões). É a religião dos descendentes de Abraão, Moisés, etc... A revelação de Deus está contida nas Sagradas Escrituras (Antigo Testamento). Ainda esperam o Messias, o salvador prometido pelos profetas.

RELIGIÕES AFRICANAS:  na África há centenas de povos ou tribos, cada qual com suas próprias características culturais e religiosas. Há, porém, alguns elementos comuns, que caracterizam as religiões africanas: o reconheci­mento de um Ser Supremo (chamado Olurum, Zambi etc); muitas potências espirituais que se ocupam das coisas deste mundo e, por isso, são invocadas (entre os iorubas são chamados orixás); danças religiosas; curandeirismo e fetichismo (prática de feitiços, amuletos, etc.); ritos de iniciação; normas morais: as ações que prejudicam a convivência humana são rigorosamente punidas ou reparadas com ritos religiosos, pois irritam os espíritos e provocam desgraças.
A Umbanda e os outros cultos afro-brasileiros têm sua origem nas religiões africanas, misturado, porém, com elementos religiosos da Igreja Católica, dos índios e do espiritismo.

ESPIRITISMO: o espiritismo, chamado “de mesa” ou “Kardecista”, é um movi­mento que foi fundado no final do século passado pelas irmãs Fox e codificado pelo Francês Allan Kardec. A doutrina do espiritismo tem seu fundamento na mediunidade, isto é, na possibilidade - assim dizem - das pessoas se comunicarem com os espíritos (almas) dos falecidos e vice-versa. Médium é a pessoa dotada de poderes para realizar esta comunicação, através do transe mediúnico, de passes terapêuticos, de fluídos, psicografia etc. Outra doutrina fundamental do espiritismo, também assimilada na umbanda, é a reencarnação: os espíritos (almas) vão se purificando através de sucessivas reencarnações em outras pessoas.

Fonte:
http://catequesecrismal3.blogspot.com.br/2012/06/13-encontro-religiao-e-religioes.html

quinta-feira, 22 de março de 2018

Quem é o catequista?



Ser catequista é uma vocação. 
Um chamado de Deus. 
Ele tem o dom de contagiar as pessoas e transmitir a Palavra de Deus 
Tem uma alegria incomparável. 
Ele anuncia com alegria e entusiasmo o que Cristo ensinou. 
Ele é "sal da terra e luz das nações" (Mt. 5,13-14)

"Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos"

O perfil do catequista
de Frei Almir Guimarães

Site: Franciscanos.org.br

Pessoa que cultiva a oração, a celebração litúrgica, experiência comunitária e o compromisso apostólico. 
Ele é:
Um discípulo de Jesus, 
Um missionário de Cristo, 
Sua função é um serviço prestado à Palavra,
Sua missão é educar a fé, 
Alguém inserido na comunidade, 
Vive uma espiritualidade encarnada em Cristo, 
Pessoa que tem senso ou espírito crítico, 
Conhece os desafios deste tempo, 
Ele sabe criar condições para a mensagem ser acolhida, 
Pessoa profundamente acolhedora. 
Pessoa que sabe se comunicar, 
Suas qualidades humanas:
Pessoa psicologicamente equilibrada, 
Que sabe assumi compromissos,
Que trabalhe em equipe,
Pessoa com espírito criativo, 
Que exerça uma certa liderança na comunidade. 

"Amamos porque Deus nos amou primeiro" ( Jo. 4,19)

_________
Catequista Josivaldo Alves

sexta-feira, 16 de março de 2018

POR UMA IGREJA QUE PENSA!?

Pe. Zezinho, scj

Leitores que não preparam as leituras.
Cantores que não ensaiam os cantos.
Coroinhas que não ensaiam sua parte.
Sacerdotes que não preparam seus sermões.
Catequistas que não leem os documentos da Igreja.

Pregadores que não leram o catecismo.

Cantores desafinados que insistem em liderar os cantos da missa.

Músicos sem ritmo e sem ensaios que tocam alto e errado.

Cantores que dão show de uma hora sem perceber que a guitarra e o baixo estão desafinados.De quebra, também um dos solistas...

Autores que não aceitam corrigir seus textos e suas letras, antes de apresentá-los a milhões de irmãos na fé.

Cantores que teimam em repetir uma canção
cuja letra o bispo já disse que não quer que se cante mais.

Párocos que permitem que qualquer um lidere as leituras e o canto.
Párocos que permitem qualquer canção, mesmo se vier errada.

Sacerdotes que ensinam doutrinas condenadas pela Igreja, práticas e devoções com ranços de heresia ou de desvio doutrinário. 

Animadores de programas católicos com zero conhecimento de doutrina.

**********************************

Parecemos um hospital que, na falta de médicos na sala de cirurgia, permite aos secretários, porteiros e aos voluntários bem intencionados que operem o coração dos seus pacientes.

Há católicos aconselhando, sem ter estudado psicologia...

Há pregadores receitando, sem conhecer a teologia moral. 

E há indivíduos ensinando o que lhes vem na cabeça, porque entusiasmados com sua fama e sua repercussão, acham que podem ensinar o que o Espírito Santo lhes disse naquela hora.

Nem sequer se perguntam se de fato era o Espírito Santo que lhes falou durante aquela adoração, ou aquela noite mal dormida!

Está faltando discernimento na nossa Igreja! Como está parece a casa da mãe Joana, onde todos falam e apenas uns poucos pensam no que falam. Uma Igreja que não pensa acaba dando o que pensar!?

PENSANDO EM SER IGREJA!?



POR UMA IGREJA QUE PENSA

A DISCIPLINA NA CATEQUESE

PARÓQUIA SANTO ANTÔNIO: A DISCIPLINA NA CATEQUESE : A questão da disciplina é um desafio no mundo atual. Já se foi aquele tempo em que as cr...