terça-feira, 20 de agosto de 2019

3ª TURMA DE TEOLOGIA


Terceira Turma de Teologia do Pólo de Tocantinópolis
Agosto de 2019

A ESCOLA DE TEOLOGIA PARA LEIGOS PAULO VI da Diocese de Tocantinópolis-TO
É um projeto aprovado no 3º Plano Diocesano de Pastoral (2011-2013) com um Polo em Araguaína-TO e outro em Tocantinópolis-TO.

A Escola tem como objetivo “proporcionar aos cristãos leigos e leigas reflexão e aprofundamento para sua fé e prática evangelizadora a fim de atuarem com convicção e competência em suas famílias, nas pastorais, movimentos eclesiais, ministérios e serviços na Igreja contribuindo no exercício da cidadania como cristãos comprometidos/as com o Reino de Deus”.  BISPO DIOCESANO DOM GIOVANE PEREIRA DE MELO


Patrística

Patrística é o nome dado à filosofia cristã dos três primeiros séculos, elaborada pelos Pais da Igreja, os primeiros teóricos —- daí "Patrística" — e consiste na elaboração doutrinal das verdades de fé do cristianismo e na sua defesa contra os ataques dos pagãos e contra todos que eram contra, denominados hereges.
Foram os pais da Igreja responsáveis por confirmar e defender a fé católica, a liturgia, a disciplina, criar os costumes e decidir os rumos da Igreja cristã, ao longo dos sete primeiros séculos do cristianismo. Basicamente, patrística é a filosofia responsável pela elucidação progressiva dos dogmas cristãos e pelo que se chama hoje de tradição católica.
Quando o clero, para se defender de ataques polêmicos, teve de esclarecer os próprios pressupostos, apresentou-se como a expressão terminada da verdade que a filosofia gregahavia buscado, mas não tinha sido capaz de encontrar plenamente, enquanto a Verdade mesma não tinha ainda se manifestado aos homens, ou seja, enquanto o próprio Deus não havia ainda encarnado.
De um lado, se procura interpretar o cristianismo mediante conceitos tomados da filosofia grega, do outro reporta-se ao significado que esta última dá ao cristianismo. Os primeiros pensadores cristãos, ao mesmo tempo em que se valeram, também se debateram com os filósofos Platão e com Aristóteles, que, sobretudo, com os estoicos e com os epicuristas. Perdendo os ideais da doutrina cristã primitiva, eles buscaram encontrar, frente à filosofia e aos filósofos, o lugar apropriado da reflexão filosófica e do pensar cristão. Predominava muito o teocentrismo.

“Tratando-se de filosofia patrística, não devemos, como outrora, pensar somente nas obras de filósofos que só foram filósofos. A filosofia da patrística está antes contida nos tratados dos pastores de alma, pregadores, exegetas, teólogos, apologetas que buscam antes de tudo a exposição da sua doutrina religiosa. Mas ao mesmo tempo, levados pela natureza das cousas e dada a ocasião, se põem - a resolver problemas propriamente pertencentes à filosofia; e então, pela força do assunto, versam a metodologia filosófica.” (Khaio Mendes, 2015)

Acesse e baixe a coleção da Filosofia Cristã

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Novas diretrizes da Igreja no Brasil 2019-2023

As Novas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil para o próximo quadriênio (2019 a 2023), após intenso processo de debate e acréscimos dos bispos, foram aprovadas na manhã deste dia 6 de maio pelos participantes da 57ª Assembleia Geral, em Aparecida (SP).

O padre Manoel de Oliveira Filho, membro da Comissão do Texto Central sobre as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (2019-2023) falou ao portal da CNBB sobre o caminho que as novas diretrizes propõem à Igreja no Brasil.

Segundo ele, o central nas Novas Diretrizes é mais uma vez um novo chamado de retorno às fontes para olhar a experiência das comunidades primitivas e inspirados por elas formar, no hoje da história e na realidade urbana, comunidades eclesiais missionárias.

“Que essas comunidades eclesiais missionárias tenham jeito de casa, de acolhida, não uma coisa estática de paredes simplesmente, ou da estrutura física. Mas, acima de tudo as diretrizes falam de um jeito de ser, de uma postura que lembre, evoque a ideia da casa que acolhe, que é espaço de ternura e misericórdia”, disse.

Os quatro pilares – Padre Manoel reforça que a casa é onde as pessoas são identificadas pelo nome, pelo jeito, onde têm história. Na proposta das diretrizes, lembrou o religioso, a casa é sustentada por quatro pilares essenciais: a) Palavra de Deus e a iniciação à vida cristã; O pilar do Pão que é a casa sustentada pela liturgia e sobre a espiritualidade; o pilar da Caridade que é a casa sustentada sobre o acolhimento fraterno e sobre o cuidado com as pessoas, especialmente os mais frágeis e excluídos e invisíveis; o pilar da Missão porque é impossível fazer uma experiência profunda com Deus na comunidade eclesial que não leve, inevitavelmente, à vida missionária.

A realidade urbana, fragmentada, carregada de luz e de sombras, mas também cheia de potencialidades, é definida pelo padre muito mais do que um lugar social geográfico, mas como uma mentalidade e cultura. “Nesta realidade a Igreja é convidada a ser presença. Como casa. Como comunidade eclesial missionária”, reafirmou.

A diretrizes, segundo ele, apontam para um rumo muito bonito, porque partem de uma perspectiva de encontro com Deus e com os irmãos, numa dinâmica de acolhida, de portas abertas, de ir ao encontro, de espera e acolhida ativa para formar as comunidades.

As Igrejas e comunidades são convidadas, segundo o que propõe as novas diretrizes, a serem luzeiros no meio do mundo. O religioso afirmou que as comunidades podem estar em qualquer lugar: no condomínio, numa praça, no trabalho. “Mas também nas paróquias, comunidades, nos colégios católicos, nas obras sociais”, disse.

“As novas diretrizes apontam para rumos e horizontes muito bonitos de avanço, de comprometimento apostólico e de comprometimento profético-transformador”, destacou.

Segundo ele, a profecia não se dá apenas pela denúncia, embora seja fundamental hoje mais do que nunca, mas também pelo anúncio de um jeito novo de ser e de viver. “Os rumos são os mais bonitos, basta a gente entrar nesta história e caminho”, disse.

Após a assembleia, o religioso aponta que todas as instâncias, as pastorais e organismos, e as Igrejas particulares, toda vida eclesial precisam entrar mesmo neste rumo, na direção apontadas pelas Diretrizes. “Seguir este caminho, acreditar no projeto e proposta. Vamos todos precisar, como todo a vida de Igreja, fazer um caminho de conversão, ler estudar, colocar na mente e descer para o coração para transformar em realidade”, disse.

A CNBB apresenta diretrizes mais gerais, não apresenta um plano; Após a assembleia, segundo padre Manoel, o plano deve ser feito por cada instância da Igreja nas diferentes realidades. “Se a gente acredita no projeto vamos encontrar um caminho para que ele se torne real”, concluiu.




terça-feira, 23 de abril de 2019

Uma catequese mais vivencial e menos escolar


D. Anacleto Oliveira analisou o novo curso «Ser Catequista» e o projeto da «catequese familiar» no setor
No final do Encontro Nacional de Catequese 2019, que decorreu em Viana do Castelo, o bispo local, D. Anacleto Oliveira, explicou ao Educris que a catequese “está num processo de renovação que teve uma expressão visível com a Carta pastoral sobre a Catequese”.
A mudança iniciada visa “pôr em prática o documento primeiramente no que toca à formação dos catequistas”:
“Neste momento estamos a ultimar o curso «Ser Catequista», que ainda está em desenvolvimento. A proposta, elaborada por vários peritos, está em análise pela Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé (CEECDF) No total são vinte horas e seis temas que se subdividem em dois, cada. Queremos criar uma mentalidade nova em relação à catequese. Passar do modelo escolar ao modelo vivencial para abarcar outras dimensões da pessoa”, sustentou.
Para o prelado o grande desafio do setor passa por “quebrar” o modelo anterior e buscar novas formas que cativem os mais novos e sirvam de modelo para a vida:
“O Papa criticou-nos, e bem, na visita Ad Limina, por que a nossa catequese não era vivenciada. Ainda temos muito a ideia de que a catequese é uma espécie de curso que se tira. Aqui no Norte ouvimos muito a expressão ‘eu já tirei as comunhões todas’. Queremos uma catequese mais vivenciada que permita aos adolescentes, e adultos, uma prática que permita partir ou chegar das palavras e dos conteúdos se vão apropriando em contexto catequético”, revelou.
O também membro da CEECDF deu ainda conta do projeto da catequese familiar que considerou “muito importante” uma vez que permite “uma aprendizagem mútua entre pais e filhos e que não se reduz a uma hora por semana”:
“A catequese familiar surge, antes de mais, como uma catequese de adultos. Um espaço onde podemos catequizar os pais na melhor fase da sua vida, a paternidade e maternidade. É também o lugar indicado para os mais novos por que permite estabelecer uma relação cristã entre pais e filhos”.
D. Anacleto Oliveira deu conta de que hoje existem já casais e filhos que “querem continuar a aprofundar o percurso da catequese familiar” por que o modelo “permite continuar a aprofundar, com outros temas e lugares, esta mesma forma de estar e ser Igreja”.

Educris|22.04.2019
ACESSE O SITE
Uma catequese mais vivencial e menos escolar

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Mês Missionário Extraordinário



O Papa Francisco proclamou outubro de 2019 como Mês Missionário Extraordinário com o objetivo de: “despertar em medida maior a consciência da missio ad gentes e retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral”. Trata-se de acontecimento eclesial de grande importância que abrange todas as Conferências Episcopais, os membros dos institutos de vida consagrada, as sociedades da vida apostólica, as associações e movimentos eclesiais.
Publicamos a seguir o documento apresentado, discutido e aprovado pelo Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil no dia 22 de novembro de 2018.
ACESSE TODO O CONTEÚDO
MÊS MISSIONÁRIO EXTRAORDINÁRIO

FAÇA O DOWNLOAD do texto completo

GUIA DO MÊS MISSIONÁRIO

sábado, 6 de abril de 2019

Você nasceu para dar certo!




Primeiro a gente precisa entender que “tudo que Deus fez, ele fez bem feito.”
Isso aqui é o ser indelével de Deus. Ele viu que era bom e muito bom.
Portanto eu queria dizer de uma forma muito direta, concisa e objetiva.
“Você nasceu para dar certo.”
Não acredite nos círculos de negativismo, de pessimismo, de derrotismo. Não acredite nos círculos que negam o teu valor, a tua dignidade ontológica, a tua grandeza.

Eu gostaria que você não esquecesse que há uma centelha divina dentro de você. Há uma vida divina dentro de você. Há uma força eterna, uma força celestial dentro de você. E essa força te capacita diuturnamente. Ela te potencializa todos os dias e te diz uma coisa:
o poder que há em você, é muito maior do que os problemas que existem diante de você. A capacidade que há em ti, é muito maior que as dificuldades que há diante de ti. Portanto, não desista.”

Quero até num trocadilho popular dizer: “diante de Jesus, de joelhos, mas diante dos problemas em pé.” Não inverta a ordem dos fatores. Aqui, a inversão da ordem dos fatores altera o produto. “diante de Jesus, de joelhos, mas diante dos problemas em pé.”

Tenha certeza: “quem tem fé, alcança o que quer e quem tem fé, permanece em pé.” A tribulação passará. Tudo passa. Só Deus não passa. Só o amor não passa. A paciência tudo alcança. Tudo passará e a vitória chegará. Os que semeiam entre lágrimas colherão com alegria. Porque Deus quer, Deus pode e Deus faz. E Deus vai fazer maravilhas na sua vida!

Padre Fabrício Timóteo